Buscar

Como São Formados os Cálculos Renais?


Quando a característica de uma condição de saúde é dor extrema, não é difícil de associá-la aos cálculos renais. Provavelmente você já ouviu falar sobre esta condição, com este nome ou como é popularmente conhecida “pedras nos rins”. Neste artigo, iremos explicar a você como estes cálculos se formam e como é possível prevenir o aparecimento deles.


Para começar, vamos lembrar um pouco sobre os principais órgãos afetados por esta condição, ou seja, os rins. Os rins são órgãos em forma de feijão que ficam localizados na região das costas (lombar), a função deles é filtrar o sangue. São órgãos extremamente essenciais para a vida e quando os mesmos não conseguem filtrar o sangue, a pessoa necessita realizar o procedimento de hemodiálise, caso contrário, a condição levará a óbito.


Cálculos renais são formações endurecidas que se acumulam nos rins ou em outras partes do trato urinário, e são resultado do acúmulo de cristais que estão presentes na urina.


Quando os cálculos formados são muito pequenos, eles podem até passar despercebidos e nem causar qualquer sintoma ou desconforto, mas quando eles são maiores, o paciente sofre com uma dor intensa que se manifesta na região das costas (normalmente em apenas um dos lados) e se espalha pela região abdominal em direção à virilha. Esta dor que se manifesta em forma de cólica (tem picos de dor intensa e alívio em seguida) é descrita pelos pacientes como “quase insuportável”.


Curiosidade: A nomenclatura “cálculo das vias urinárias” é mais adequada para descrever esta condição de saúde, uma vez que estes cálculos podem atingir tanto os rins em si quanto os ureteres, a bexiga e a uretra.


Sobre a composição dos cálculos, na maioria das vezes eles são formados por cálcio, mas também podem ser formados por ácido úrico, cistina ou estruvita.


Ocorrendo a obstrução das vias urinárias, a urina fica presa nos rins e causa o dilatamento deles, o que consequentemente causa uma lesão. Esta situação pode levar à insuficiência renal. Pode também ocorrer a infecção do trato urinário, quando há o acúmulo de bactérias que ficam presas na urina, naquela região.


Sintomas


A dor intensa, como já mencionada, é o principal sintoma de cálculos renais. No entanto, também podem ocorrer juntamente à dor:


  • Sangue na urina;

  • Náuseas;

  • Vômitos;

  • Febre;

  • Infecção urinária;

  • Necessidade de urinar com mais frequência;

  • Redução do fluxo urinário.


Causas e fatores de risco


Alguns fatores podem contribuir para o desenvolvimento dos cálculos. São eles:


  • Pré-disposição genética;

  • Moradia em local quente (favorece a perda de água pelo corpo através da transpiração);

  • Urina com muita saturação de sais;

  • Ingestão em excesso de sal, cálcio e proteínas;

  • Baixa ingestão de líquidos, principalmente água;

  • Falta de inibidores, como por exemplo, o citrato;

  • Alterações anatômicas;

  • Distúrbios metabólicos;

  • Hiperparatireodismo;

  • Sedentarismo;

  • Obesidade;

  • Obstrução das vias urinárias;

  • Presença de doenças inflamatórias intestinais.


Diagnóstico


Além da observação dos sintomas, os médicos utilizam os seguintes exames para diagnosticar um paciente com cálculos no trato urinário:


  • Exames de diagnóstico por imagem (sendo os mais comuns: ultrassonografia, tomografia computadorizada ou ressonância magnética);

  • Exames de sangue e de urina;


Também pode ser utilizado o exame de urografia excretora, este exame consiste na aplicação de um contraste iodado na veia, que permitirá uma melhor visualização do trato urinário no Raio X. É feito um Raio X antes e depois da aplicação do contraste, podendo o Raio X pós aplicação do contraste ser repetido em intervalos de 5, 10 ou até 15 minutos. O contraste aplicado na veia é rapidamente eliminado pela urina.


Tratamento


O tratamento a ser utilizado vai depender do tamanho e localização dos cálculos em cada paciente. Para cálculos menores, podem ser prescritos medicamentos para ajudar no controle da dor junto com medicamentos para facilitar a eliminação espontânea dos cálculos através da urina. Quando isso não é possível, principalmente porque os cálculos são grandes demais para serem eliminados espontaneamente (normalmente, quando são maiores que 5mm) são realizados os seguintes procedimentos:


Litotripsia – É um procedimento onde são aplicadas ondas de choque direcionadas para o local onde está o cálculo. As ondas de choque quebram os cálculos em fragmentos menores para assim poderem ser eliminados pela urina.


Cirurgia endoscópica – Se a litotripsia não resolver, a cirurgia endoscópica é utilizada. Este procedimento é feito com a introdução de um endoscópio através da uretra, passando pela bexiga e seguindo até o local do cálculo, com o objetivo de quebrá-lo, sendo os fragmentos maiores removidos com o auxílio de pinças apropriadas. Os fragmentos minúsculos são então eliminados espontaneamente através da urina.


Raramente é necessária uma cirurgia convencional para o tratamento de cálculos no trato urinário, no entanto, às vezes uma cirurgia percutânea pode ser utilizada para remover cálculos maiores.


Prevenção


A principal medida de prevenção você já sabe, mas não custa reforçar, não é? A ingestão de líquidos em boas quantidades, principalmente água, é muito importante para evitar a formação de cálculos no trato urinário.


Mas qual o real motivo disso?


Quando uma pessoa ingere pouco líquido, a urina fica mais concentrada (isso inclusive é visível pelo tom fortemente amarelado), essa concentração favorece a formação de cristais, que acumulados, formam os cálculos renais. A quantidade ideal de água a ser ingerida por dia varia entre dos e três litros.


Fazer atividades físicas, reduzir o consumo de sal e o não fazer consumo exagerado de proteínas também ajudam na prevenção de formação dos cálculos.


Além das medidas de prevenção, existem algumas recomendações:


Caso você note que possivelmente está eliminando cálculos renais através da urina, é importante que utilize um filtro de papel durante o ato de urinar, para que assim o cálculo possa ser coletado e levado ao médico para a análise de sua composição. Dessa forma, será possível uma melhor indicação de tratamento e medidas de prevenção mais específicas para evitar o aparecimento de mais cálculos.

Não se automedique, é importante que todos os medicamentos, inclusive os utilizados para aliviar a dor, sejam prescritos por um médico.


Busque por atendimento médico imediatamente caso sinta os sintomas descritos neste artigo, assim poderá ser feito o diagnóstico correto e iniciado o tratamento. Caso o atendimento médico não seja procurado, o paciente pode sofrer insuficiência renal, a depender de como estejam os cálculos.


Você já bebeu água hoje?


Referências: Biblioteca Virtual em Saúde, Dr. Drauzio Varella, Manual MSD



#CuidamosDissoPraVocê



Entenda sobre a Tuberculose


"...A transmissão da tuberculose ocorre de forma aérea, de pessoa para pessoa, por meio de partículas em forma de aerossóis contendo bacilos que são liberados no ar através da fala, tosse ou espirro de uma pessoa infectada e com tuberculose ativa..."

Ler Mais


Novas Coberturas Incluídas no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde


"...O mês de Abril de 2021 trouxe uma boa notícia para aqueles que possuem ou desejam contratar um plano de saúde. Por meio da Resolução Normativa nº 465/2021, novos itens foram incluídos pela ANS ao Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde..."

Ler Mais

15 visualizações